Certificado EAD é reconhecido pelo MEC?

Entenda porque o Certificado EAD é reconhecido pelo MEC e o Seu Valor Legal!

Inegavelmente, os cursos EAD têm crescido a cada ano no Brasil e, isso se deve, em parte, pelo maior alcance da tecnologia hoje, além da falta de tempo ou excesso de atividades diárias.

Fazendo com que, cada vez mais pessoas busquem o ensino à distância como alternativa ao tradicional presencial.

Mas a coisa não para por aí, o avanço da internet também contribuiu para dar mais credibilidade aos cursos a distância, que oferecem possibilidade de suporte às aulas presenciais, ou servem como horas complementares ou, até mesmo, como possibilidade real de acesso ao mercado de trabalho.

Partindo do princípio que estamos em tempos de crise, de desemprego em alta, chega uma hora em que, até mesmo, após se formar em uma faculdade, se percebe a necessidade de somar novas habilidades, tornando o currículo, assim, mais competitivo.

Mas, então, em que apostar, afinal?  E um curso técnico, ou profissionalizante? O certificado EAD é reconhecido pelo MEC?

A dica é apostar em cursos livres, na maioria das vezes, gratuitos, já que podem lhe ajudar a se manter atualizado, crescer na carreira ou, até mesmo, conquistar a sonhada independência financeira, sem falar que oferecem certificados que valem como horas complementares.

Certificado EAD é reconhecido pelo MEC?

Mas o que é um curso livre?

Então, curso livre faz parte da modalidade de Educação Profissional e, apesar de não ser reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC), ao contrário do que muita gente imagina, tem base legal no Decreto nº 5.154/04 e na Portaria Nº 008/02.

Para quem não sabe, o MEC só reconhece cursos com duração mínima de 360 horas, o que não desqualifica a modalidade livre, que apesar de ter duração variável, podendo durar algumas horas ou alguns meses, e não exigir comprovação de escolaridade anterior.

Educação a Distância oferece certificado, o qual tem validade em todo o país e pode, inclusive, ser usado como horas complementares, uma exigência dos cursos de graduação.

Vale saber que esses certificados de conclusão dos cursos livres são emitidos pelas próprias instituições que oferecem os cursos, porém, isso não significa que os curso livres dispensam os critérios acadêmicos utilizados nas modalidades da educação superior.

E mais, muitos dos cursos livres, inclusive, são preparatórios para certificações oficiais de empresas como Adobe, Microsoft, CISCO entre outras, portanto, só é preciso critério na escolha do curso.

Resumindo, os cursos livres à distância têm como maior objetivo o aperfeiçoamento de habilidades de seus alunos, sem um tempo mínimo ou máximo de duração, podendo um curso ter duração de algumas horas ou até meses.

Porque apostar em cursos livres?

Sem dúvida, aprender nunca é demais, se qualificar e atualizar sempre é fundamental para crescer profissionalmente e, nesse sentido, os cursos livres podem ser uma ótima opção, tanto para alunos que buscam capacitação, como para profissionais que desejam investir em cursos virtuais para se atualizarem, ou até mesmo, mudar de área de atuação ou negócio.

Sem dúvida, a disputa por um espaço no mercado de trabalho só cresce a cada dia, e isso torna cada vez mais necessária a  constante busca de capacitação ou atualização e, felizmente, a tecnologia da educação a distância proporciona uma facilidade de acesso à informação nunca antes experimentada, tornando os cursos livres uma ótima aposta.

Enfim, investir em cursos livres é muito positivo para alunos que buscam aprender sobre qualquer assunto que os leve a melhoria de uma atividade específica, podendo, inclusive, ter direito a um certificado ao final, o qual, entre outras coisas, pode ser usado como as horas complementares dos cursos de graduação.   

Afinal, o certificado dos cursos livres é reconhecido pelo MEC?

Primeiramente, vale saber que EAD significa ensino à distância, que podem ser de graduação e pós, técnicos, profissionalizantes ou livres.

Pois bem, enquanto os cursos técnicos, profissionalizantes e pós-graduações precisam, SIM, de autorização do MEC para funcionar e devem se adequar a exigências como carga horária e eixo temático, e o certificado dos cursos é reconhecido pelo MEC.

Já, os cursos livres, não exigem nem idade mínima e o aluno só precisa ter terminado o ensino fundamental para se matricular, podendo se qualificar para o mercado antes mesmo da faculdade e, no mais, a instituição responsável por cursos livres online não é o MEC, e sim a Associação Brasileira de Educação a Distância (ABED), devendo a mesma ser associada ao órgão.

Ou seja, o diploma de curso técnico confere título e o da modalidade livre não, o que quer dizer que os órgãos que regulamentam as profissões não reconhecem um curso livre como habilitação profissional, mas reconhecem como capacitação e atualização e, também pode ser usado como horas complementares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *